fechar
Olimpiadas

Grandes lições dos Jogos Olímpicos Rio 2016 – parte 2

Após mais uma semana de jogos mais algumas histórias nos ensinam muito.

Mais uma historia de persistência e resiliência…

RJ - BOXE-ROBSON-CONCEIÇÃO-SOFIANE-OUMIHA-OLIMPÍADAS - ESPORTES - O boxeador brasileiro Robson Conceição (foto) comemora a conquista da medalha do ouro do Peso Ligeiro de Boxe Masculino das Olimpíadas Rio 2016, no Rio de Janeiro (RJ), nesta terça-feira (16), após enfrentar o lutador francês Sofiane Oumiha. 16/08/2016 - Foto: DHAVID NORMANDO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A primeira medalha de ouro para o Brasil em Olimpíadas poderia não ter acontecido caso Robson Conceição não tivesse persistência e resiliência.

Em entrevista para reportagem da UOL, vejam o que Robson Conceição disse:

Perdi as 10 primeiras lutas da minha vida no boxe. Imagine se desistisse? Hoje sou campeão olímpico. Queria agradecer a todos que incentivaram muito. É um orgulho lutar por esse país. Não acordei para a realidade ainda, estou vivendo um sonho. Queria agradecer a todo público brasileiro que mandou mensagem pra mim. Hoje nós fizemos história juntos”.

Além disso, esta é a terceira vez em que participa dos Jogos Olímpicos, e nas duas vezes anteriores, em Pequim-2008 e Londres-2012, havia sido desclassificado na primeira luta.

Quantas vezes na vida, sofremos com decepções, derrotas e fracassos? Muitas vezes, desistimos facilmente dos nossos objetivos mediante estes obstáculos.

Devemos ter a humildade de analisar onde erramos e procurar sempre aprender com cada tropeço e obstáculo. Cada aprimoramento e superação nos leva cada vez mais próximo aos nossos objetivos.

O que não devemos fazer perante as derrotas é apenas lamentar, culpar o destino e desconsiderar os aprendizados que elas podem nos proporcionar.

A história se repete…

ourosaltocomvara

Superação, persistência e determinação também marcam a historia do outro brasileiro medalhista de ouro dessa Olimpíadas Rio 2016, Thiago Braz.

Em 2015, ele era favorito ao titulo no PanAmericano de Toronto 2015, uma vez que tinha uma das melhores marcas naquele ano. Ele não conseguiu corresponder as expectativas e não conseguiu realizar nenhum salto com êxito.

Após novo desempenho fraco no Mundial da China, também de 2015, no qual terminou em 19º lugar, ele chegou a estas Olimpíadas Rio 2016 desacreditado.

Surpreendendo a todos, ele superou todos os adversários e inclusive seu recorde pessoal. Ao ultrapassar os 6,03 metros, Thiago obteve não só a medalha de ouro no salto com varas, como também o recorde olímpico para a modalidade e recuperou o respeito e a admiração de todos que não acreditaram no seu potencial.

 

Fonte:

Post “Perdi as 10 primeiras lutas que fiz. Imagina se eu desistisse”, diz Robson no site UOL

Post É preciso cair para vencer? Medalhistas brasileiros mostram que sim no site UOL

 

 

Tags : exemplosuperação
Rogerio Chinen

O Autor Rogerio Chinen

médico formado na UNIFESP aficcionado por cinema e tecnologia interessado em questões filosóficas e sobre o conhecimento humano idealizador, criador e webmaster do site Espiral de Valor

Leave a Response

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE