fechar
nosedive1-black-mirror-season-3

Resenha  Black Mirror… Finalmente, chega a 3ª temporada desta provocadora série televisiva…

O Nosedive, primeiro episódio desta nova temporada, nos faz questionar as redes sociais…

Para quem acompanha o blog Espiral de Valor desde o inicio, já publiquei anteriormente resenhas das duas primeiras temporadas nestes links: 1ª temporada e 2ª temporada.

Esta nova temporada, recém lançada na Netflix, inicia com um episódio intitulado Nosedive.

Antes de prosseguir, a resenha contém spoilers. Assista o episódio antes de ler a resenha, preferencialmente.

Vamos ao episódio…

Neste episódio,  vemos uma sociedade na qual todos são avaliadores e avaliados por toda interação online e pessoal. Essas avaliações resultam em uma nota média que determinará descontos, influência e autoridade.

As notas são ajustadas em tempo real com cada interação e ficam visíveis o tempo todo, flutuando ao lado de cada pessoa que interagimos.

Na história acompanhamos Lacie Pound, um garota com uma boa nota 4,2, onde 5,0 é a nota máxima. As pessoas com escore acima de 4,5 são consideradas pela sociedade como pessoas premium, com direitos a descontos em alugueis e outros benefícios.

Lacie anseia por subir de categoria e vê uma oportunidade única ao ser convidada para ser madrinha de casamento de uma antiga colega de infância, Naomi, com nota 4,8.

Ela passa por cima de suas lembranças de infância, pois elas não foram tão amigas assim, muito pelo contrario. No entanto, como este é o caminho mais fácil e rápido para subir de escore, ela pensa: “Que mal tem nisso!?”.

Quanta falsidade…

Alias, um tema central do episódio, a meu ver, é a autenticidade das pessoas neste hipotético mundo. Na ânsia de agir em função de agradar aos outros, tudo parece forçado, irreal, artificial. As pessoas vivem com um constante sorriso pasteurizado esperando que sejam bem avaliados pelo próximo.

O irmão de Lacie, que vive de forma mais autêntica e sincera, possui pontuação mediana, em torno de 3,5 e está confortável com isto. Este, aliás, foi o motivo da briga entre os irmãos. Ele, ao perceber o caminho da falsidade que a irmã está tomando, procura alertá-la e impedi-la de seguir por este caminho.

Traçando um paralelo com nossa sociedade atual, também nos comportamos de forma similar aos apresentados na série.

Muitos de nós ansiamos por aprovação e reconhecimento. Cada compartilhamento nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, ficamos ansiosos esperando para ver o número de likes, curtidas e compartilhamentos.

Uma cena particularmente interessante do episodio ocorre quando Lacie tira uma foto perfeita do cafezinho que irá tomar e compartilha na rede social. Ao experimentar o café, ela percebe que o mesmo está infinitamente distante do sabor que esperava considerando a beleza da apresentação.

Para ela, a experiência foi péssima, mas o que importa se gerou varias boas avaliações?

O que vale mais: as suas experiências de vida e memórias que são elaboradas com estas experiências ou  mostrar para todos que estamos vivendo bons momentos e receber mensagens e likes por isto?

Outro aspecto interessante abordado no episodio é a própria questão de avaliar e ser avaliado. Cada vez mais, aplicativos e serviços estão utilizando este recurso para estimular a qualidade tanto do fornecedor do serviço, como do consumidor. O Uber, apenas para citar um exemplo, utiliza desta ferramenta.

Sempre vi esta estratégia como positiva, uma vez que estimula o prestador de serviço a oferecer o melhor serviço possível, bem como o consumidor a agir de forma educada e honesta.

Este episódio nos dá um vislumbre de como seria o mundo se este recurso de avaliação fosse levado ao extremo. Todos avaliando e sendo avaliados, não sei se gostaria disto…

O escore de avaliação é tão importante para as pessoas nesta sociedade que até as punições são feitas com perda de pontuação, como a que ocorreu no episódio ao Lacie ser punida pelo guarda.

Todos vivem sua vida em função do que o outro vai achar 100% do tempo.

Neste hipotético mundo: Onde fica seu Eu verdadeiro, sua essência, sua verdade, sua necessidade de expressão, seus desejos, sua liberdade?

Não há espaço para nada disto. Você vive apenas em função da expectativa dos outros…

Para refletir…

Enfim, a série Black Mirror começou sua nova temporada da melhor forma possível: instigante, reflexiva e com pontos de conexão com nossa sociedade atual que são assustadoras.

Deixe sua opinião sobre as reflexões aqui apresentadas…

Quais outros insights e reflexões você teve ao ver o episódio?

Tags : comportamento humanoredes sociaissérie
Rogerio Chinen

O Autor Rogerio Chinen

médico formado na UNIFESP aficcionado por cinema e tecnologia interessado em questões filosóficas e sobre o conhecimento humano idealizador, criador e webmaster do site Espiral de Valor

Leave a Response

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE