fechar
Divertir, mas inspirarFilmes

Resenha do filme Mãe! – um filme do qual você não sairá do cinema indiferente – ame ou odeie.

mother capa

Resenha do filme Mãe! – um filme do qual você não sairá do cinema indiferente – ame ou odeie.

Sinopse: O relacionamento de um casal é posto à prova com a chegada de visitas inesperadas abalando sua tranquila convivência em seu lar.

Reflexões:

  • relacionamento
  • processo criativo
  • relação Deus – homem
  • relação homem – natureza
  • religião

Resenha: (contém spoilers – caso ainda não tenha assistido o filme, sugiro que o faça antes de ler esta resenha).

Mãe é um filme que pode ser visto a partir de várias perspectivas.

Na camada mais superficial, temos a história de um casal vivendo numa idílica casa campestre, em harmonia.

Ele interpretado magistralmente por Javier Bardem é um artista que parece passar por um bloqueio criativo e se isolou em meio a Natureza para buscar inspiração.

Ela interpretada (também de forma magistral) por Jennifer Lawrence é uma mulher delicada, amorosa e que dedica todo seu tempo ao bem-estar do marido e a tornar a casa em que moram um paraíso.

O interessante (e importante para as outras interpretações do filme) é o fato de nenhum personagem do filme possuir um nome.

A tranquilidade do casal é abalada com a chegada inesperada de um homem (interpretado por Ed Harris), um médico em busca de refúgio e sua mulher (interpretada por Michelle Pfeiffer).

A chegada do casal é o estopim para uma crescente sucessão de fatos que destroem o relacionamento do casal.

Nesta perspectiva do filme, temos uma reflexão importante sobre a paixão do criador por sua obra e o apreço pela fama em detrimento ao relacionamento do casal.

Para ela o mais importante era a tranquilidade e o convívio entre os dois, curtindo uma vida pacata e tranquila. Para ele , a prioridade eram a fama ,reconhecimento e convívio de outras pessoas. Esta discrepância de prioridades é o que direciona o fim do relacionamento, exatamente como ocorre na vida real.

2a camada

A segunda camada de interpretação é sobre a questão ambiental.

Você não leu errado! É sobre a questão ambiental.

Jennifer Lawrence interpreta a Mãe! que representa a Mãe Natureza, por isso o sinal de exclamação em “mãe”.

Javier Bardem, por outro lado, interpreta ninguém menos do que Deus, o criador de tudo, onipresente, onisciente, todo poderoso.

Há duas pistas claras que não deixam dúvidas com relação a esta interpretação. Uma primeira pista é a fala do Javier Bardem dizendo “Eu sou o que sou”, com uma clara alusão a Bíblia. A segunda pista está nos créditos do filme quando todos os personagens são descritos como ela, a mulher, o homem, todos iniciando com letra minúscula. Apenas Javier Bardem é descrito como interpretando “Ele”, com caixa alta no início.

Dada estas premissas o filme adquire uma nova cara. A Mãe Natureza criou o mundo com todo o capricho, pensando em cada detalhe do planeta Terra. Da mesma forma, no filme fica claro como o personagem de Jennifer Lawrence zela pela casa em que vivem. Cada detalhe é cuidado com muito zelo procurando criar um verdadeiro paraíso.

Ao longo do filme vamos assistindo e nos sentindo incomodados com a crescente invasão de privacidade e ousadia dos estranhos que entram em sua casa.

As pessoas são descuidadas, barulhentas, bagunceiras, interferem na construção da casa (começam a pintá-la sem autorização), destroem objetos apesar dos alertas e solicitações da Mãe.

Uma sensação de angustia é provocada pelo filme ao ver tanta barbárie.

O filme nos impacta e nos provoca profunda reflexão ao nos mostrar que aqueles invasores e destruidores de lar pelos quais criamos profunda repulsa, somos nós mesmos.

Nós, como seres humanos, surgimos no planeta Terra há muito pouco tempo se compararmos com a existência do planeta. Apesar de o habitarmos há tão pouco tempo, estamos destruindo o que a Mãe Natureza construiu ao longo de séculos.Nós estamos fazendo exatamente como os intrusos no filme, agindo com ousadia, despeito e de forma invasiva com relação ao planeta em que vivemos.

3a camada

A terceira camada de interpretação é a aspecto religioso.

Além de Deus e da Mãe Natureza, analisando o filme sobre o aspecto religioso, ele utiliza uma sucessão de histórias bíblicas.

Vejam quantas citações bíblicas podem ser encontradas no filme: criação do mundo, Adão e Eva, pecado original, Caim e Abel, a palavra de Deus (Bíblia), Amor de Deus pelo Homem, o Dilúvio, homem criado a sua imagem e semelhança, Messias, Filho de Deus, Paixão de Cristo, eucaristia, perdão dos pecados, fim dos tempos.

Ufa…

O filme ainda aborda, sob esta ótica religiosa, a relação dos homens com as religiões: o fanatismo, a adoração de relíquias religiosas e o uso da violência em nome da religião.

Precisamos de mais filmes com este

Enfim, é um filme complexo, denso, instigante, provocador, ousado e reflexivo.

Por causa de todas estas diferentes camadas de análise e interpretação, o filme tem gerado muita discussão e feito as pessoas refletirem.

Em um mundo cinematográfico, no qual a grande maioria dos filmes procura apenas entreter, o aparecimento de um filme como este que, apesar de polêmico, faz as pessoas discutirem por horas, dias e semanas é um mérito que merece ser reconhecido.

Qual foi o último filme que você viu que lhe gerou tantas discussões e reflexões?

… (pausa)

Eu acredito que o cinema é uma mídia incrível para levantar discussões sobre os problemas e dilemas da humanidade. E este filme faz exatamente isto.

Que venham mais filmes como este.

O filme ,por abordar questões religiosas , tem gerado muita polêmica e tem dividido opiniões. Ame ou odeie…

No meu caso… eu amei. Nota 10!

 

Taglines:

seeing is believing (ver é acreditar)

 

Ficha Técnica:

Nome : Mother!

Tradução : Mãe!

País :  USA

Ano: 2017

Diretor: Darren Aronofsky

Nota IMBD:  74

Nota Rotten Tomatoes:  67 (critica) 47 (audiência)

 

Trailer:

Tags : filmehomemmeio ambientereligiãoresenha
Rogerio Chinen

O Autor Rogerio Chinen

médico formado na UNIFESP aficcionado por cinema e tecnologia interessado em questões filosóficas e sobre o conhecimento humano idealizador, criador e webmaster do site Espiral de Valor

Leave a Response

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE