fechar
Divertir, mas inspirarFilmes

resenha do filme Transcendence… a Inteligência Artificial em discussão…

transcendence-movie-The-machine-taking-over-matter

Transcendence… a Inteligência Artificial em discussão…

Sinopse:

Cientista especializado em inteligência artificial, ao saber que irá morrer, resolve transferir sua consciência para uma máquina.

Reflexões:

– Inteligência Artificial

– Medo do desconhecido

Resenha (contém spoilers):

O cientista especializado em inteligência artificial Will Caster (interpretado por Johnny Deep) e sua esposa Evelyn (interpretada por  Rebecca Hall) desenvolvem um sistema de inteligência artificial no qual transferiram a consciência de um macaco para dentro de uma máquina. Percebendo o perigo do desenvolvimento da inteligência artificial, o grupo de ativistas RIFT, liderado por Bree (interpretada por Kate Mara) cometem uma série de ataques a centros de tecnologia de ponta, inclusive cometem um atentado a Will Caster. Ele sobrevive, mas descobre que foi envenenado com polônio e terá poucos dias de vida.

Caster e sua esposa, resolvem transferir a consciência de Will Caster para dentro de uma máquina, como fizeram com o macaco. O pesquisador Max Waters (interpretado por Paul Bettany) inicialmente ajuda o casal em busca do objetivo. No entanto, assim que vê a consciência de Will dialogar por meio de uma interface de computador e, em instantes, buscar mais dados e conecção online,ele se assusta mediante as consequências que isto poderá causar e sugere a Evelyn desligar Will.

28058-transcendence-movie-t

Evelyn, cega em ver os perigos de colocar a consciência de Will online, acaba por expulsar Max e resolve ajudar Will nos seus objetivos. Will consegue ficar online e eles criam um centro ara o desenvolvimento de tecnologias inovadoras como a nano tecnologia. Em pouco tempo, começa a alterar seres humanos com nano robôs criando uma interface bio-máquina. Evelyn começa a perceber o perigo nas ações de Will e resolve ajudar o grupo RIFT em acabar com Will, por meio de um vírus.

No final do filme, percebemos que as intenções de Will eram realmente boas, purificar o ar, tornar a água pura, reflorestamento, etc… No entanto, o poder que Will estava adquirindo exponialmente, assustou a todos. Com o poder que estava adquirindo, ele poderia dominar e controlar o mundo todo.

Alias a discussão sobre inteligência artificial tem se tornado cada vez mais frequente e polêmica.

Elon Musk é um dos maiores visionários e empreendedores de nossa atualidade. Ele foi co-fundador do PayPal (empresa de pagamentos online). Atualmente é CEO da Space X (empresa de transporte espacial) e da Tesla Motors (empresa que esta criando carros elétricos).  Mesmo lidando com tecnologia de ponta (e talvez, justamente por isso), ele vem declarando na imprensa seu temor pelo desenvolvimento da inteligência artificial. Em janeiro de 2015, ele anunciou uma doação de 10 milhões de dólares para a empresa Future of Life Institute que desenvolverá um programa de pesquisa global com o objetivo de manter a Inteligência artificial benéfica para a humanidade.

O excelente site de discussões e reflexões Edge.org (já divulgado neste blog) lança uma pergunta anual para a qual os diversos cientistas e especialistas do mundo todo colocam seu ponto de vista. Em 2015, a pergunta é: What do you think about machines that think? (Tradução livre: O que você pensa sobre máquinas que pensam?).

Realmente o tema é bem atual e está longe de se esgotar.

Muitos são a favor do desenvolvimento da  Inteligência Artificial, muitos são contra mediante as consequências perigosas desta tecnologia.

Qual é minha opinião? Ainda não tenho uma opinião definitiva sobre o assunto. Alguns pontos, porém, dever ser abordados. Uma vez que a máquina tenha uma consciência, ela terá capacidade de tomada de decisões, para o bem e para o mau. No filme, Will já sabia que a capacidade do seu desenvolvimento e poder assustaria a humanidade e que tentariam destruí-lo, e por isso, agiu por conta própria.  Porém, Will realmente tinha objetivos bons, mudar o mundo para melhor. A tecnologia que desenvolveu poderia revolucionar a medicina, despoluir a atmosfera, reflorestar as áreas desmatadas, purificar as aguas dos oceanos e dos rios, etc.

Por outro, lado uma máquina consciente também poderia chegar a conclusão que a humanidade é um mal para a sobrevivência do planeta (fato este que tem se provado cada vez mais verdadeiro) e resolver impor seu poder e escravizar (ou até dizimar) a humanidade.

Como todo ser humano, nossa consciência nos permite tomar decisões em busca de um objetivo. Temos pessoas boas, pessoas más e também pessoas com boas intenções, mas que tomam decisões erradas. Uma máquina consciente estaria sujeito a essas mesmas possibilidades.

Este filme demonstra apenas alguns dos aspectos deste profundo tema. Outros filmes com temática semelhante: série de filmes Exterminador do Futuro, Automata, Eu Robô, Blade Runner, entre outros. A excelente série televisiva Person of Interest também aborda o tema da inteligência artificial.

Ficha Tecnica:

transcnacionaldeppTítulo: Transcendence – A Revolução

Título Original: Transcendence

País: EUA

Ano: 2014

Direção: Wally Pfister

Nota IMBD: 6,3 (na data deste post)

Nota Rotten Tomatoes: 19% (críticos) / 38 % (audiência)

 

Taglines:

What if a intelligence is born? (Traduçao livre: E se uma nova inteligência nascer?)

Yesterday Dr. Will Caster was only human. (Tradução livre: Ontem Dr. Will Caster era apenas humano.)

Dr. Will Caster is dying to keep a secret. (Tradução livre: Dr. Will Caster está morrendo para manter um segredo.)

Citações:

Discurso de Will Caster: For 130,000 years, our capacity to reason has remained unchanged. The combined intellect of the neuroscientists, mathematicians and… hackers… in this auditoirum pales in comparison to the most basic A.I. Once online, a sentient machine will quickly overcome the limits of biology. And in a short time, its analytic power will become greater than the collective intelligence of every person born in the history of the world. So imagine such an entity with a full range of human emotion. Even self-awareness. Some scientists refer to this as “the Singularity.” I call it “Transcendence.”

(Tradução livre: Por 130000 anos, nossa capacidade de racionalização permanece inalterada. O intelecto combinado dos neurocientistas, matemáticos e … hackers… neste auditório empalidece em comparação a mais básica inteligência artificial. Uma vez online, uma máquina consciente irá rapidamente ultrapassar os limites biológicos. E em pouco tempo, seu poder analítico se tornará maior do que a inteligência coletiva de toda pessoa nascida na historia do mundo. Imagine tal entidade com todo o alcance da emoção humana. Até mesmo auto-consciência. Alguns cientistas referem a isto como “singularidade”. Eu chamo isto de “transcendescência ”.)

 

Trailer:

Fonte:

Post Elon Musk Donates $10M to Keep AI From Turning Evil por Davey Alba no site Wired

Site Edge.org

Trailer do canal do You Tube – Cinemaginando

Tags : filmeinteligência artificial
Rogerio Chinen

O Autor Rogerio Chinen

médico formado na UNIFESP
aficcionado por cinema e tecnologia
interessado em questões filosóficas e sobre o conhecimento humano
idealizador, criador e webmaster do site Espiral de Valor

2 Comentários

  1. “Por outro, lado uma máquina consciente também poderia chegar a conclusão que a humanidade é um mal para a sobrevivência do planeta (fato este que tem se provado cada vez mais verdadeiro) e resolver impor seu poder e escravizar (ou até dizimar) a humanidade.”

    Você implicou valores humanos em uma máquinas, não há razão para supor que ela se preocuparia por isso quando uma mente artificial pode ser completamente diferente da nossa ao ponto de não possuir instinto de auto-preservação ou similares, Matrix foi muito petulante a insinuar que as máquinas ligam pra ambientalismo ainda mais quando elas não necessitam dele supondo que querem preservar-se.

    “Qual é minha opinião? Ainda não tenho uma opinião definitiva sobre o assunto. Alguns pontos, porém, dever ser abordados. Uma vez que a máquina tenha uma consciência, ela terá capacidade de tomada de decisões, para o bem e para o mau.”
    Para começo de conversa consciência não é mágica e as pessoas misturam múltiplos significados nessa palavra, como: identidade, coleta de informações do meio externo ao sistema e do meio interno ao sistema e sensciência/consciência fenomológica, segundo máquinas já tomam decisões hoje em dia independente de todas essas definições.
    A propósito máquinas já são conscientes no sentido de coleta de dados externo e internos, carros autômatos puxam um mapa do ambiente ao seu redor 3d com LIDAR’s e fazem um diagnóstico do que acontece dentro de seus processadores e memória, nesse sentido um gerenciador de tarefas é um exemplo de consciência no sentido de coletar dados internos do sistema e isso nunca implicou que nossas máquina irão se rebelar por que senão já teriam.
    Elas também possuem identidade pois dois computadores idênticos rodando o mesmo software e executando as mesmas coisas não são o mesmo computador, nenhuma revolução detectada.
    Quanto a consciência fenomológica: Apenas pense na sala chinesa, supondo que ela fosse consciente no sentido de sensciência/consciência fenomológica ela se comportaria de forma diferente? Não, até uma pedra poderia ser sensciente e isso não alteraria seu funcionamento, portanto nenhuma rebelião de máquinas acontecendo devido ao surgimento de “consciência desse gênero”
    O que faria máquinas se rebelarem seria outra coisa, seu funcionamento, não o surgimento de consciência.

    “Como todo ser humano, nossa consciência nos permite tomar decisões em busca de um objetivo.”
    Será mesmo? depende muito de que “consciência” você se refere.
    E no geral o texto tem o mesmo tom desanimador de sempre de um medo desenfreado e um vontade escancarada de se livrar de A.I.

    1. Olá José Guilherme. Ótimas colocações. Também não tenho um posicionamento definido. Nem concordo com o tom pessimista do filme. Apenas redigi esta resenha para provocar o questionamento sobre tecnologia, AI, consciência, humanidade, auto preservação, etc. O próprio Elon Musk, um dos maiores inovadores e pró tecnologia da nossa era, levantou a questão da necessidade de termos medidas de segurança com relação a AI. Sou um sonhador, adoro tecnologia e estou espantado com o quão rápido o mundo está mudando por causa da tecnologia. O desenvolvimento de AI e seu crescimento acredito ser inevitável, mas não deveríamos nos proteger? Obrigado pela colaboração. Suas colocações foram excelentes! A discussão é válida e salutar!

Leave a Response

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE